O Património Industrial do Vale do Ave
29 Novembro 2010

Destaque

ver destaque »
Mediateca: Conhecer para Valorizar!
29 Novembro 2010

Mediateca


ver destaque »

Seja o 1º a saber... subscreva!

Central do Ermal

Central do ErmalA Central de aproveitamento hidroeléctrico do Ermal, é a mais importante do sistema em cascata do Ave, pertencente ao grupo EDP.

Os aproveitamentos dispõem-se de montante para jusante pela ordem seguinte:
- Barragem e Central "pé-de-barragem" (1939).
- Central do Ermal (1937).
- Central da Ponte de Esperança (1942).
- Barragem das Andorinhas e Central da Senhora do Porto (1945).

A Central que antecedeu a actual Central do Ermal tem origem no ano de 1932 e detinha três grupos de geradores, com uma potência instalada de 1,84 MW. Como consequência do novo projecto energético do Ave, em 1937, entra ao serviço a nova Central do Ermal, iniciativa da empresa concessionária Companhia Electro – Hidráulica de Portugal. Inicialmente a sua potência instalada chegava aos 4,96 MW, mais tarde, com um esforço de modernização atingiu os 10,85 MW, com uma produtividade anual de 29 GWh.

A lógica de funcionamento baseia-se no aproveitamento dos caudais turbinados pela Central de Guilhofrei, transportado através de um canal de adução com a capacidade de vazão de 17,3 m3/s e cerca de 1,5 km de comprimento, para duas condutas forçadas que alimentam dois grupos de geradores da Central do Ermal, sob uma queda de 82 m.

O Concelho de Póvoa de Lanhoso e de Vieira do Minho, encontravam-se afastados de um conjunto de factores que facilitaram o desenvolvimento industrial nos restantes concelhos do Vale do Ave, integrando-se nela através da produção de energia eléctrica. Paralelamente à sua indiscutível funcionalidade e utilidade económica, alia-se a importância ambiental e simbólica de um espaço cuidado e agradável que traduz os ímpetos e crenças no progresso.


Apoios

Todos os direitos reservados © 2010 ADRAVE